MOVIMENTO POETRIX

O mínimo é o máximo!

Textos

POETRIX DE RONALDO RIBEIRO JACOBINA
Janeiro,

Dizer ao Ano: Bom dia
(Tudo é sempre bom
Quando se inicia).


Fevereiro,

Com suor e cerveja, dizer à nossa Geografia:
É hora de circular pelo rio
Da fantasia, entre recifes, na baía da alegria.


Março,

Dizer ao Mar, à Maré: Tu, que me navegas,
Me deixas ser teu timoneiro,
Teu argonauta derradeiro.


Abril,

Às Árvores: Desnudem-se com todo pudor...
E, com suas folhas, forrar meu leito,
Fazer meu ninho, fazer amor.


Maio,

Aos Companheiros, na atual encruzilhada
E desencanto: Não há um só caminho, todavia, nesta esquina,
A virada pela esquerda ainda é a nossa estrada.


Junho,

Falar ao Frio: Sejas bem-vindo.
Junta-te a nós, nesta fogueira de festa,
Ao nosso licor, ao nosso vinho.



Julho,

Dizer ao Ano: Boa tarde.
Sentir que o coração bate, queima, teima,
Arde.


Agosto,

Ao Homem: Não entregue os pontos. Ânimo.
Até na hora de morrer, é hora de nascer.
Ao humano, ainda não desceu o pano.


Setembro,

À Mulher: Tu - rosa ou lilás - és flor.
Inventada no feliz, floras agora.
(E, de tão vaga, ganha sentido a palavra amor).


Outubro,

Ao Jovem: Começa no hoje, a hora futura,
Que, guevaramente,
Ainda rima com a palavra ternura.


Novembro,

Ao Sol, primo vere: Reina, enche de luz a tua raça,
Que vive de teu calor, de tua benção,
De tua graça.


Dezembro,

Dizer ao Ano: Obrigado, meu bom velhinho,
Pelo presente dado, com carinho.
Adeus.
Movimento Poetrix
Enviado por Movimento Poetrix em 05/01/2009
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ronaldo Ribeiro Jacobina). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras